quinta-feira, 19 de novembro de 2009

LEPTOSPIROSE


Algumas doenças estão relacionadas a eventos climáticos, como o período de chuvas. Nesse período, onde ocorrem enchentes e a água e os alimentos podem ser contaminados. A desestruturação da rede de esgoto e o acúmulo de lixo são alguns dos fatores que contribuem para a proliferação de mosquitos, baratas e ratos, potenciais transmissores de doenças infecciosas. Uma dessas doenças é mais freqüente nessas situações: a leptospirose.
Saiba mais sobre esta doença evitável.

O que é Leptospirose?
A leptospirose é uma doença infecciosa transmitida ao homem, principalmente, durante as enchentes. É causada por uma bactéria chamada Leptospira interrogans, presente na urina de ratos e outros animais. Bois, porcos e cães também podem ser contaminados e transmitir a leptospirose ao homem.
Os principais sintomas presentes são: febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, principalmente nas panturrilhas (batata-da-perna); podem estar presente vômitos, diarréia e tosse. Nas formas graves geralmente aparece icterícia (pele e olhos amarelos) e há a necessidade de internação hospitalar.

Como se transmite?
Durante as enchentes, a urina dos ratos, presente nos esgotos e bueiros, mistura-se à enxurrada e à lama. Qualquer pessoa que tiver contato com a água ou lama pode infectar-se. As leptospiras penetram no corpo pela pele, principalmente por arranhões ou ferimentos. O contato com esgotos, lagoas, rios e terrenos baldios também podem propiciar a infecção. Veterinários e tratadores de animais podem adquirir a doença pelo contato com a urina, sangue, tecidos e órgãos de animais infectados.

Qual o tratamento?
O tratamento da pessoa com leptospirose é feito fundamentalmente com hidratação. Quando o diagnóstico é feito até o quarto dia de doença, devem ser empregados antibióticos que reduzem as chances de evolução para a forma grave. As pessoas com leptospirose sem icterícia podem ser tratadas em casa. As que desenvolvem meningite ou icterícia devem ser internadas. As formas graves da doença necessitam de tratamento intensivo.
Não deve ser utilizado medicamento para dor ou para febre que contenha ácido acetil-salicílico (como AAS, Aspirina, Melhoral e similares), pois eles podem aumentar o risco de sangramentos. Os antiinflamatórios também não devem ser utilizados pelo risco de efeitos colaterais, como hemorragia digestiva e reações alérgicas. Aos primeiros sintomas, procure um médico imediatamente.

Como se prevenir?
Medidas ligadas ao meio ambiente: obras de saneamento básico (abastecimento de água, coleta de lixo adequada e sistema de esgoto bem estruturado), melhorias nas moradias e controle de roedores. Evitar o contato com água ou lama de enchentes e impedir que crianças nadem ou brinquem nessas águas. Pessoas que trabalham na limpeza de lama, entulhos e desentupimento de esgoto devem usar botas e luvas de borracha. Como alternativa e na falta de luvas podem usar sacos plásticos duplos amarrados nas mãos e nos pés.
A água sanitária (hipoclorito de sódio a 2,5%) mata as leptospiras e deve ser utilizada para desinfetar reservatórios de água: um litro de água sanitária para cada 1.000 litros de água do reservatório. Para locais e objetos que entraram em contato com água ou lama contaminada: diluir um copo de água sanitária em um balde de 20 litros de água.
O acondicionamento e destino adequado do lixo, armazenamento apropriado de alimentos, desinfecção e vedação de caixas d´água, vedação de frestas e aberturas em portas e paredes, etc. O uso de venenos raticidas (desratização) deve ser feito por técnicos devidamente capacitados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário